Os Trólebus de / The Trolleybuses of
Ribeirão Preto

Transerp - Transportes Urbanos de Ribeirão Preto

Após a primeira crise petrolífera, é criado em 1979, pelo Ministério
dos Transportes, um grupo de trabalho para desenvolver um
projeto piloto de trólebus em cidades de tamanho médio.
Ribeirão Preto, no interior do Estado de S. Paulo, é escolhida e,
em 1980, é criada a Transerp, uma empresa de economia mista.
Definidas as zonas a serem servidas pelos trólebus, em 1981 inicia-se
a construção das instalações fixas e é feita a licitação para a compra de
22 viaturas, as quais vêm a ser fornecidas pela Mafersa,
com carroceria Caio e equipamento elétrico Villares.
A inauguração solene do sistema de trólebus dá-se em 30 de abril de 1982,
na linha 207, Presidente Dutra, que  liga sede da Transerp
ao centro da cidade. Presentes as altas individualidades da cidade,
designadamente o Prefeito Duarte Nogueira, a TV Ribeirão, a Imprensa.
E a 24 de julho começa a funcionar comercialmente
o sistema de trólebus de Ribeirão Preto,
o 12º sistema do tipo a ser criado no país e o 32º na América Latina.
Progressivamente vão entrando ao serviço novas linhas
em novos corredores: em 07/08/1983 para o Jardim Independência;
em 15/04/1984 para Vila Virgínia; em 01/12/1988 para o Hospital
das Clínicas; e em 15/06/1992 para Iguatemi.
Com a expansão da rede e o aumento da procura, tornou-se necessário
o aumento do parque de viaturas. Este é feito em 1992 por 16 ônibus a
diesel, os quais passam alternar com os trólebus nas mesmas linhas.
Em 1996, face ao progressivo aumento das tarifas da energia elétrica
no país e à oferta, cada vez maior e a preço inferior, de combustíveis
derivados do petróleo, a Transerp tenta, pela primeira vez, suprimir os
trólebus - apesar de reconhecer as suas interínsecas vantagens,
nomeadamente na preservação do Meio Ambiente -,
altura em que adquire mais 6 ônibus a diesel.
Uma nova Administração suspende tal atitude e tenta relançar
o trólebus na cidade. Porém, não consegue ultrapassar as crescentes
oposições e, vencida (mas não convencida), abdica.
O sistema de trólebus de Ribeirão Preto encerra durante a primeira hora
do dia 3 de julho de 1999. Sem qualquer notável presença a assinalar.
(* - Leia a reportagem dos acontecimentos.)
Consumatum est!
As sete linhas da Transerp foram divididas pelas três
maiores empresas privadas de transporte da cidade, que aí deverão
por a circular ônibus a diesel equipados com ar condicionado.

 

In 1979, after the first oil crisis, Brazil's Transport Ministry created a
work group to develop a pilot project for trolleybuses in medium-sized cities.
Ribeirão Preto, in the interior of São Paulo state, was chosen and
Transerp - Empresa de Transporte Urbano de Ribeirão Preto,
a mixed economic enterprise, was created in 1980.
The routes were planned, construction began on the
workshop/depot, and 22 trolleybuses were ordered to Mafersa,
with Caio body and electric equipment by Villares - all Brazilian firms.
The first line, route 207, connecting the depot with city center,
was solemnly inaugurated on 30 April 1982 in the presence of
Mayor Duarte Nogueira, TV Ribeirão and the local press.
Revenue service begun on 24 July 1982.
Ribeirão Preto was the 12th city in Brazil, the 32nd in Latin America
to be have an electric trolleybus system.
New lines opened regularly:
on 7/8/1983 to Jardim Independência,
on 15/4/1984 to Vila Virgínia, on 1/12/1988 to Hospital das Clínicas,
and on 15/06/1992 - the fifth route -, to Iguatemi.
More routes and more passengers meant more vehicles and
the fleet was increased in 1992 - with 16 new diesel buses.
These began running alternately with trolleybuses on some lines.
In 1996, acknowledging their environmental advantages but faced with
progressively higher electric rates, and ever lower gasoline prices
(Brazil is now a major oil producer), Transerp tried to eliminate
trolleybus service. Six more diesel buses were bought.  
A new administration decided to keep the electric system,
but opposition forces were strong and three years later,
conquered but not convinced, it gave up.
In the early hours of Saturday 3 July 1999, the last Transerp trolleybus
returned to the depot and electric transport in the city came to an end.
Neither mayor nor TV cameras were present.
(* - Read in Portuguese what was reported.)
Consumatum est!
Transerp's seven routes were divided among the
city's three major private bus operators, which will operate
air-conditioned vehicles powered by diesel motors. 

 

(clique nas fotos para ampliá-las - click on the photos to enlarge)

 

Allen Morrison visitou o sistema de
trólebus de Ribeirão Preto em
28 de dezembro de 1982, pouco tempo
após a sua criação, tendo fotografado
os carros nºs 1007 e 1015 (abaixo)
no corredor Presidente Dutra.
1007, 1982/12/28
Allen Morrison visited the Ribeirão Preto
trolleybus system on 28 December 1982,
shortly after its inauguration.
He photographed vehicles
#1007 (above) and #1015
on the President Dutra line.
1015, 1982/12/28

 

1013, 1985 A revista Transporte Moderno, do Rio de
Janeiro, publicou, no final dos anos 80
e em maio de 1990, dois artigos sobre o
sistema de trólebus de Ribeirão Preto,
usando nas respetivas capas
duas imagens do carro nº 1013.
1013, 1990/05 In the mid-1980s and again in May 1990,
Rio's Transporte Moderno magazine,
published articles about Ribeirão Preto
trolleybus system.
The covers of both issues
showed vehicle # 1013.

 

Inaugurado em 30 de novembro de 1988, o
Terminal de Integração na Praça Carlos Gomes
era início e fim de todas as linhas da Transerp.
Aqui os passageiros podiam trocar de linha,
sem qualquer pagamento adicional.
Foi desativado simultaneamente
com o fim do serviço de trólebus.

Trólebus 1002 na Estação de Integração da Pç. Carlos Gomes, 1999/06/14

Praça Carlos Gomes Transfer Station
was inaugurated on 30 November 1988.
All trolleybuses lines met there and
passengers could change vehicles
without paying an extra fare.
It closed at same time as the trolleybus system.

Trólebus 1019 saindo da Estação de Integração, 1999/06/14

 

Trólebus 1022, Rua Américo Brasiliense, 1999/06/14 Os trólebus e os ônibus a diesel da Transerp
faziam serviço alternado nas mesmas linhas
- as mais movimentadas da cidade.
Porém os trólebus eram sempre os preferidos
pelos usuários, em detrimento dos ônibus a
diesel, e andavam habitualmente lotados
- como se poderá ver na foto do nº 1020
(em baixo), feita em 15/06/1999.
Trólebus 1020, Rua Martinico Prado, 1999/06/15 In later years trolleybuses and diesel buses
shared the same routes. The electric vehicles
were always preferred and ran full
- as shown by Emidio Gardé's photo of
# 1020 (left), taken on 15 June 1999.

 

Duas belas imagens dos trólebus de
Ribeirão Preto, tomadas em 14 e 15
de junho de 1999 por Emídio Gardé:
nºs 1008 (ao lado) e 1018 (em baixo).
De origem nacional e fabricação Mafersa,
eles possuem carroceria da Camo e
equipamento elétrico tipo shopper Villares.

Trólebus 1008, 1999/06/14

Two nice views of Ribeirão Preto trolleybuses
taken by Emídio Gardé on 14 and 15 June 1999:
# 1008 (above) and 1018 (right).
Build in Brazil by Mafersa,
both have Caio bodies and
electric shopper equipment by Villares.

Trólebus 1018, 1999/06/15

 

Depôt, 1999/06/15 Duas imagens do mesmo local, tiradas com
17 dias de diferença: em 15 de junho de 1999
apenas se encontravam inoperacionais três
trólebus (dois deles visíveis na foto ao lado);
em 3 de julho, no mesmo local passaram
a estar inoperacionais vinte e dois trólebus.
De Depôt, o local passou a Cemitério.
Cemitério, 1999/07/03 Two pictures taken at same spot - 17 days apart:
Top view shows three trolleybuses in the
Transerp yard on 15 June 1999.
The bottom picture, taken on 3 July,
shows the entire fleet, all twenty two vehicles,
in the Transerp "cemetery"
in the morning after the system closed.

 

Bilhete, fase experimental, 1982

Bilhetes de transporte:
durante a fase experimental,
em 1982 (esq.)
e na fase final, em 1999 (dir.).
Bilhete, frente, 1999/06/15
Tickets:
at the beginning in 1982 (left)
and at the end in 1999 (right).
Bilhete, verso, 1999/06/15

 

Ao lado o mapa das linhas de trólebus,
traçado por Gert Aberson,
com as linhas existentes em
Ribeirão Preto em 15 de março de 1992.
Posteriormente passou a haver
mais uma linha, a 103, para o Forum.
Mapa das linhas de Trólebus de Riberão Preto
The (enlargeable) map at right,
drawn by Gert Aberson,
shows the system on 15 March 1992.
Another line, route 103 to Forum,
opened later.

 

Caso não seja reconhecido o erro agora cometido e
o sistema de trólebus de Ribeirão Preto não seja reativado,
e/ou enquanto o material não seja entregue à voracidade dos Homens,
talvez seja esta a sua única utilidade.
Apesar de também ecologicamente correto,
não foi certamente para isto que foi investido dinheiro público
no sistema de trólebus de Ribeirão Preto!
Poleiro para pássaros.
Unless the error is admitted and the Ribeirão Preto system
reopens, and as long as the overhead wires is not sold,
perhaps this will be its only use.
It may be ecologically correct, but this was surely not the reason that
public funds were invested in the Ribeirão Preto trolleybus system!

 

RETROCEDE AOS TRÓLEBUS
RETURN TO TROLLEYBUSES

RETROCEDE AOS TRANSPORTES ELÉTRICOS DA AMÉRICA LATINA
RETURN TO ELECTRIC TRANSPORT IN LATIN AMERICA


(*) Agradeço sinceramente a Vitor Cervi e ao seu jornal Verdade, de Ribeirão Preto, único órgão presente à morte do sistema de Trólebus da cidade, e que forneceu as imagens a preto-e-branco desta página, bem como as principais dados históricos do sistema (Leia a reportagem na íntegra). Bem haja!

(*) I sincerely thanks Vitor Cervi and his newspaper Verdade (Truth) of Ribeirão Preto, who alone reported the closure of the trolleybus system. Sr.Cervi also sent basic historical data on the system and the black and white photographs shown on this site (Read the entire newspaper article, in Portuguese).


Nedstat Counter Última atualização / Last update: 29/02/04
ehgarde@momentus.com.br
http://members.tripod.com/~EmidioGarde/trolleybus/rpm.htm